/A vírgula da discórdia. Por José Nêumanne

A vírgula da discórdia. Por José Nêumanne

Compartilhe!

A tentativa dos marqueteiros de Temer de transformarem um canto de torcidas (“o campeão voltou”) no slogan da festa marcada para celebrar dois anos de governo – O Brasil voltou, 20 anos em 2 – deu em nada por causa de uma polêmica sobre uma vírgula, que estava correta na frase errada. Houve quem lembrasse os “50 anos em 5” de Juscelino, mas esta era uma meta a ser perseguida no futuro, não uma comemoração de um passado, e o problema não era o plágio e, sim, o verbo usado que lembra retrocesso, e não avanço, como se pretendia. Com 13,7 milhões de desempregados, a economia parada, o Congresso que não funciona, as reformas que não foram aprovadas e a corrupção que não foi citada, o melhor seria esquecer a data e tocar o barco.


Compartilhe!

Comente com Facebook