/Por que desistência de Barbosa favorece Ciro. Por Reginaldo Silva

Por que desistência de Barbosa favorece Ciro. Por Reginaldo Silva

Dentre os quatro nomes  da corrida presidencial que podem herdar o possível apoio do PSB, estão Geraldo Alckmin (PSDB), Marina Silva (Rede), Álvaro Dias (Podemos) e Ciro Gomes (PDT), que já vinha flertando com a sigla. Marina Silva foi candidata a presidente pelo partido na eleição passada, após a morte de Eduardo Campos e, segundo o governador de Pernambuco, Paulo Câmara, ela teria se distanciado da agremiação depois da eleição presidencial.

Geraldo Alckmin tem um grande problema para resolver dentro de casa, para obter o apoio do PSB, teria que apoiar a reeleição de Márcio França ao governo de São Paulo e teria que ficar contra seu partido no Estado, que vai lançar Dória ao governo de São Paulo, uma condição quase inimaginável.

Álvaro Dias, por sua vez, poderia ser um dos felizardos para abocanhar essa fatia, no entanto, suas condições nas pesquisas eleitorais poderiam pesar negativamente neste primeiro momento.

Paulo Câmara, governador de Pernambuco e um dos grandes expoentes da sigla, sempre deixou claro sua posição por uma candidatura de centro-esquerda e faz referências positivas a um político que tenha sensibilidade com o povo nordestino, que tenha um programa de governo definido e voltado para área social, sobretudo na região Nordeste. Ciro Gomes preencheria esse vácuo, como o maior beneficiado neste primeiro momento da desistência de Joaquim Barbosa.

Ainda existe muita água para rolar por debaixo da ponte, principalmente em um clima de incertezas que estamos vivendo. Contudo, os fatos levam a crer que o PDT, pelo menos, momentaneamente, ganha na festa da desistência de Joaquim Barbosa que, desde o primeiro momento, através de seu silêncio, deixou claro que a eleição para Presidência da República não era sua praia e muito menos sua prioridade.

Neste momento de crise, o País precisa de gente com ideias e posições definidas, porque muitos são os problemas que virão pela frente. Assim, se faz necessário muita dedicação, inteligência, paciência e serenidade para tentar recolocar o Brasil nos trilhos do desenvolvimento e principalmente tentar unificar um país completamente dividido e incrédulo com a classe política.

Joaquim Barbosa anunciou hoje (08/05) que não seria candidato a presidência da República por meio de sua conta oficial no Twitter por volta das 10h desta terça-feira. O anuncio do ex-ministro, pegou de surpresa tanto os integrantes do PSB, quanto lideranças políticas de outras legendas partidárias.

 

 

 

Comente com Facebook