/Operação Tira Teima, mira Eunício

Operação Tira Teima, mira Eunício

A Polícia Federal cumpriu  na manhã desta terça (10/04), mandados de busca e apreensão autorizados pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin, relator da Operação Lava Jato na Corte. Não foram expedidas ordens de prisão.

A Operação Tira-Teima, que investiga pagamentos de vantagens indevidas, por partes de um grupo empresarial a políticos, para obter benefícios em medidas de interesse do grupo econômico.

Foram cumpridos oito mandados de busca e apreensão em São Paulo, Ceará e Goiás, no âmbito da investigação da delação do ex-diretor da Hypermarcas, Nelson Melo.

A ação teria como objetivo aprofundar a investigação sobre o senador Eunício Oliveira (MDB), presidente do Senado.  A operação é decorrente de delação do ex-diretor de Relações Institucionais da Hypermarca, Nelson Melo.

De acordo com as investigações, segundo Nelson Melo, na eleição de 2014,  foram pagas “despesas de empresas que prestavam serviços à campanha de Eunício Oliveira” por meio de “contratos fictícios” no valor total de 5 milhões de reais.

As empresas que teriam recebidos os valores por meio dos contratos fraudulentos seriam a Confirma Comunicação e Estratégia, a Campos Centro de Estudos e Pesquisa de Opinião e Confederal Prestadora de Serviços de Vigilância e Transporte de Valores, de propriedade da família de Eunício.

A Companhia, hoje Hypera Pharma, reitera que não é alvo de nenhum procedimento investigativo, nem se beneficiou de quaisquer atos praticados isoladamente pelo ex-executivo, conforme já relatado ao longo do ano de 2016 em vários comunicados.

A assessoria do presidente do Senado, Eunício Oliveira informou que ele não é alvo da Operação Tira Teima. Tampouco pessoas ou empresas ligadas a ele foram alvo, ou sequer abordadas, na ação realizada na manhã dessa terça-feira (10/04).

(Com informações, Estadão)

(Foto: reprodução)

Comente com Facebook