/Nova Russas: Ministério Público, bloco Zabumba e o governo Municipal

Nova Russas: Ministério Público, bloco Zabumba e o governo Municipal

Quem mais descumpriu a Recomendação 01/2018 do Ministério Público (MP) foi o governo municipal. O bloco Zabumba, uma das maiores referências do carnaval de Nova Russas foi o maior prejudicado e o Ministério Público apenas cumpriu sua função.

Vamos aos fatos e as devidas reflexões.

O Ministério Público recebeu um abaixo assinado de moradores do centro alegando poluição sonora, pertubação ao sossego alheio e incômodo a tranquilidade, sobretudo de crianças e idosos, nos locais por onde o Trio Elétrico realiza seu percurso e nas sedes dos blocos, principalmente após o horário da meia noite.

O Ministério Público recorreu a Lei 13.711/2005 conhecida como a  “Lei do Silêncio” e fez uma Recomendação aos organizadores do carnaval de Nova Russas. Dentre os pontos, o MP recomendava que o Trio Elétrico saísse às 8h da noite e não ultrapassasse a meia noite o término do trajeto, bem como não fizesse paradas e não permitisse a queima de fogos de artifícios quando da passagem do Trio. O órgão também recomendou que os “paredões” fossem cadastrados e obedecessem as normais legais.

Ocorre que, a proibição da queima de fogos do Zabumba foi uma fichinha no quesito pertubação ao sossegos alheio, levando-se em consideração ao barulho dos paredões para os moradores da Rodoviária e bairro Universidade, que também tem os mesmos direitos dos moradores do centro.

A gestão municipal atendeu somente a Recomendação contra o Zabumba e descumpriu as demais. O bloco é um patrimônio cultural com mais de 30 anos de atividade no município.  Na terça-feira de Carnaval, o Trio Elétrico saiu às 22h em ponto. As redes sociais fervilhavam de denuncias de disputa de paredões e não se tem notícias de nenhuma apreensão . Alguns deles usaram ruas alternativas ao trajeto do Trio em direção a rodoviária com o som ligado no volume mais alto.

O Ministério Público cumpriu com seu papel de recomendar a administração que organizasse  e disciplinasse o evento realizado com recursos públicos. Os organizadores estavam mais preocupados em aparecer politicamente, ferindo o princípio constitucional da impessoalidade, onde eram exaltados os nomes das autoridades e não dos órgãos, como forma de promoção pessoal, do que preservar a tradição, oferecer uma festa segura e de qualidade para os foliões e visitantes que amam o carnaval de Nova Russas.

Cabe ao Ministério Público também fiscalizar a aplicação dos recursos desta festa grandiosa do município, licitação e contratação de bandas, uma vez que, consta no cartaz da programação do evento a banda Zanzibar e supostamente não teria tocado.

Cabe a gestão municipal organizar melhor o horário de saída e chegada dos trios, colocar ordem na participação dos paredões e tornar o carnaval mais profissionalizado e menos impessoal, pois se trata de uma festa pública e popular.

Ao Zabumba cabe um pedido de desculpa formal, por parte da administração, pela falta de respeito com a qual foi tratado um grupo de defensores da cultura local, que mantém viva uma tradição que é passada de geração para geração.

E cabe aqui fazer uma referência muito especial ao povo de Nova Russas que consegue fazer o melhor carnaval da região, mesmo diante da falta de disciplina e organização.

Cabe também uma referência especial a Polícia Militar que esteve presente durante todo o trajeto do Trio e conseguiu tornar o carnaval de Nova Russas tranquilo, mesmo em meio a onda de violência e intranquilidade em todo Estado.

E por fim, trago a reflexão a frase da cantora Gil Mendes no encerramento da Festa. ” o Carnaval de Nova Russas tem que ser respeitado”. E acrescentaria:  ” o povo de Nova Russas que faz o carnaval, também merece respeito.

(Reginaldo Silva, Ceará Notícias)

 

 

 

 

Comente com Facebook