/“Treinador moderno tem que estar muito ligado”, diz Ceni em qualificação na CBF

“Treinador moderno tem que estar muito ligado”, diz Ceni em qualificação na CBF

Um dos goleiros mais importantes do Brasil e ídolo no São Paulo, Rogério Ceni comanda agora o Fortaleza. Ele é um desses exemplos que após anos de dedicação à carreira de atleta, decide se aposentar e seguir novos rumos dentro do futebol. Antes de iniciar a pré-temporada, no dia 26 de dezembro, o foco estava na sala de aula da Licença A da CBF Academy. Ele completou o primeiro módulo. Ele pretende concluir a licença A em dezembro do próximo ano e tem ao lado dele Odair Hellman e Vagner Mancini.

– Independente de atleta ou treinador, é a vontade de estar ao ar livre lidando com as experiências que eu aprendi ao longo dos 27 anos jogando futebol. Eu percebi que havia espaço para ser técnico de futebol e decidi vir para a sala de aula adquirir conhecimento. Estou em uma turma com mais de 56 pessoas, que treinam diversos times no Brasil, auxiliares, analistas e preparadores físicos. Existe uma troca de experiências muito grande entre todas essas partes – afirma Rogério Ceni, ao site da Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

Ceni iniciou sua carreira como técnico no tricolor paulista no final de 2016. A investida inicial na nova profissão no clube em que marcou história não foi das melhores e após seis meses foi demitido do cargo. Após alguns cursos na Europa, Rogério Ceni decidiu se qualificar no curso da CBF Academy e concluiu o primeiro módulo da Licença A, em dezembro de 2017.

O Fortaleza figura na Série B do Brasileirão após oito anos fora da segunda divisão. Com ideias modernas e conceitos do futebol praticado atualmente, o técnico do Tricolor do Pici entende que o profissional de futebol, hoje, não pode ficar atento apenas para questões táticas e sim para outras áreas da modalidade.

– Hoje o treinador moderno tem que estar muito ligado. Ele pode dar mais importância para certa área, mas deve ter noção de todas elas. Dar atenção a parte de fisiologia, de preparação física, da psicologia, dentre outras. Estamos tratando com pessoas, gerindo talentos e grupos. E para isso se faz necessário o conhecimento extenso – afirmou.

(ge)

Comente com Facebook