/Como revisar Linguagens e Redação para o Enem

Como revisar Linguagens e Redação para o Enem

O fim de semana mais importante do ano para muita gente está batendo à porta. Nos dias 5 e 6 de novembro, mais de oito milhões de estudantes farão o Enem, que dá acesso à maior parte das universidades do país. Se você está preocupado com a quantidade de conteúdo que precisa revisar (afinal, 180 questões e uma redação não é pouca coisa!), separamos as recomendações de professores de alguns dos melhores colégios e cursinhos para você se preparar bem na reta final.

Veja, abaixo, nossas dicas para Linguagens e suas Tecnologias e Redação, provas que serão aplicadas no dia 6 de novembro (domingo).

Consultoria:

Prof.ª Beatriz Fam, do Colégio Pitágoras Cidade Jardim

Prof.ª Elaine Silva, do Colégio Mary Ward

Prof. Leandro Vieira, da Escola Dínamis

Prof.ª Lilica Negrão, do Colégio e Cursinho Oficina do Estudante

PORTUGUÊS E LITERATURA

Temas que mais caem
Interpretação de textos (inclusive de gráficos, infográficos e figuras)
Literatura e arte (especialmente Romantismo, Realismo e Modernismo)
Gêneros textuais e suas características (compreender a função social do texto)
Variantes linguísticas e norma culta
Conhecimento de ambiguidade e classes de palavras


Como são as questões

As provas de Linguagens são muito extensas, com textos muito longos e exigência de habilidades de interpretação ainda maiores do que nas outras disciplinas. “É preciso ler os enunciados e as alternativas com atenção, buscando fazer as possíveis conexões. Muitas vezes a resposta pode ser encontrada no enunciado, que é um texto longo e, por vezes, cansativo”, explica a professora Beatriz Fam.

Dentre os temas mais cobrados, sob os quais a prova é feita, estão “marginalidade feminina, o jovem no mercado de trabalho, a comunicação mediada pelos meio eletrônicos, cultura e cidadania, a influência da mídia e outros”, explica a professora Elaine Silva.

Como estudar na reta final e apostas para o exame

“O aluno deve tomar conhecimento dos principais movimentos artísticos e literários, cobrados com maior profundidade a cada edição do exame. Também não podemos esquecer das questões de tecnologias da informação e educação física, que muitas vezes ajudam a garantir um bom desempenho nesta avaliação”, explica a professora Beatriz.

Para Elaine Silva, a preparação do aluno na reta final deve envolver quatro diretrizes:

1. Compreender o que é exigido em termos de competências de cada área para a realização do exame do Enem

2. Traçar um cronograma, sem perder o ritmo

3. Fazer uma revisão dos conteúdos que têm mais dificuldade

4. Realizar as provas anteriores do Enem, se possível, no mesmo tempo de aplicação do exame (4h30 ou 5h30)

REDAÇÃO

A redação do Enem exige o formato dissertação, o que significa que se trata de um texto argumentativo, que pede que o autor desenvolva uma ideia, um problema ou um questionamento com uma consideração final que deve estar de acordo com os argumentos expostos. Além disso, é importante ter claro a estrutura do texto, que tem parâmetros bem definidos – veja dicas detalhadas de como fazer sua redação e, também, de como fazer uma boa proposta de intervenção.

“No último mês antes da prova, o aluno precisa se inteirar dos possíveis temas da redação, que é a parte mais significativa e importante do Enem. Ele quase sempre apresenta uma palavra que direciona a tese do aluno, como em 2015, em que o tema não foi ‘violência contra a mulher’, mas sim ‘a persistência da violência contra a mulher’”, esclarece a professora Beatriz Fam.

Além disso, é importante entender o que a banca corretora quer do aluno. “Os temas normalmente são aqueles em que o candidato vai ter que refletir sobre o coletivo. A ideia é: ‘como resolver um problema em que a solução seja boa para todo mundo?’, que seria o objetivo da proposta de intervenção”, explica a professora Lilica Negrão. Veja abaixo alguns possíveis temas para o Enem 2016:

– Intolerância política no Brasil

– Racismo no Brasil

– Temas de saúde que envolvam o vírus zika e a dengue

– Atuação dos jovens na sociedade, com o gancho da ocupação das escolas

– Legado das Olimpíadas

– Temas relacionados a ecologia e bem estar socioambiental

Três temas quentes para a redação, pelo professor Leandro Vieira

Mobilidade urbana: transporte na sociedade brasileira

As grandes cidades do mundo passam por um intenso desafio de buscar soluções para o ir e vir de seus habitantes. No Brasil, essa questão ganhou elevada repercussão com os grandes eventos dos últimos anos (Copa do Mundo, Olimpíadas, Copa das Confederações). O serviço deficiente de transporte público no Brasil acarreta um maior número de pessoas, que recorrem ao veículo particular, piorando ainda mais o problema.

Alimentação e estética: o mundo baseado em padrões

O mundo contemporâneo passa por um processo de valorização ferrenho da estética, em que aumenta o número de cirurgias plásticas, de dietas milagrosas e do uso de suplementos alimentares. A prova pode exigir do aluno um posicionamento crítico para dialogar com essa questão, pensando em como a sociedade deve agir diante desse problema, qual o papel do governo, da escola ou da mídia nesse processo de padronização corporal e de criação de um ideal de beleza nos indivíduos.

Liberdade de expressão: o limite sobre o que pode ser dito

As redes sociais, a globalização e as novas formas de interação entre os indivíduos geram uma grande ressonância nas falas de todos os membros da sociedade. E esse processo acarreta um questionamento sobre os limites do que pode ser dito. No Brasil, os humoristas são a base dessa discussão, debatendo a existência, ou não, de limites para o humor. A discussão sobre liberdade de expressão encaminha o aluno para pensar sobre o espaço do outro, a cidadania, a ética e até mesmo as condições de vida em sociedade.

INGLÊS/ESPANHOL

A prova de língua estrangeira do Enem faz bastante uso de charges, que podem conter um volume grande de texto, muitas vezes contextualizado na pergunta. Nesses casos, deve-se buscar a interpretação que faz coerência pelo jogo de sentido entre a imagem e o texto da charge. São, basicamente, questões de interpretação e dedução.

Além disso, a prova exige compreensão de textos maiores em prosa, que requer cuidado na hora de ser respondida. Muitas vezes, o enunciado da questão já deixa claro o modo com que se deve ler o texto e o que o examinador espera que se responda.

Um ponto a que se deve dar atenção são os falsos cognatos, palavras que têm escrita semelhante a uma palavra em português, mas com significado completamente diferente. Exemplo: “apology”, em inglês, significa “pedido de desculpas”, mas poderia ser confundida com “apologia”, em português.

Dica: atenção às alternativas que apresentem palavras como NUNCA, JAMAIS, SEMPRE. Geralmente, essas opções com palavras restritivas não costumam corresponder à resposta correta.

O que mais cai em inglês
Pronomes: Na presença de um pronome, saiba exatamente a que ou a quem se refere, de acordo com o texto em que está inserido
Conjunções: É muito importante entender a função das conjunções, como although, regardless, once, unless. Elas podem ser usadas para adicionar informação, contrastar ideias ou apresentar uma condição
Phrasal verbs e idiomatic expressions: Conheça verbos e expressões sinônimas para eles, no próprio inglês, e cuidado com falsos cognatos
Prefixos e sufixos
Voz ativa e voz passiva/Discurso direto e indireto
If clauses
O que mais cai em espanhol
Uso dos tempos verbais (diferença de uso entre pretérito perfecto e pretérito indefinido)
Pronomes átonos (lo,la, los las, le, les, se).
Conjunções (especialmente adversativas e concessivas: pero, sino, sin embargo, aunque, mientras)
Apócopes (corte de uma ou duas letras de alguns adjetivos ou advérbios antes de substantivos)
Diferença entre haber y tener
Diferença entre os advérbios muy e mucho
Palavras heterogenéricas, que possuem forma igual ou semelhante em espanhol e português, mas pertencem a gêneros diferentes (“el color” e “a cor”, por exemplo)
Palavras homônimas, que têm significado diferente de acordo com o artigo que a antecede (por exemplo, el cólera, que é a doença, e la cólera, que significa raiva)

Comente com Facebook