/URGENTE!! Doença urinária de Temer é grave e ele vai se internar no Hospital Sírio-Libanês

URGENTE!! Doença urinária de Temer é grave e ele vai se internar no Hospital Sírio-Libanês

Desde quarta-feira, o Planalto vem fazendo um esforço enorme para simular que o presidente Michel Temer está bem de saúde e teve apenas um problema passageiro. Na verdade, o estado do chefe do governo inspira cuidados, ele está usando uma sonda na uretra e terá de viajar para São Paulo, onde será internado e se  submeterá a tratamento no Hospital Sírio-Libanês.

 Reportagem de Adriana Dias Lopes, postada no site da Veja no final da tarde desta quinta-feira, começou a desfazer o mistério que cerca o atendimento de emergência no Hospital do Exército de Brasília, onde Temer permaneceu por oito horas.

COÁGULO – A repórter da Veja diz que a obstrução urinária (problema que acometeu o presidente e que causa dores fortíssimas e não apenas um “desconforto” ou “mal-estar”, ao contrário do que informou o Planalto) foi causada por um “coágulo na bexiga”, acrescentando que “a origem da formação do trombo no órgão ainda será investigada a fundo, mas a hipótese mais considerada pelos médicos é a de que esteja relacionada à cirurgia de extração da próstata, à qual o presidente da República foi submetido há seis anos”.

Em tradução simultânea, é preciso entender que não existe “coágulo na bexiga”. Na verdade, o coágulo não se manifesta na bexiga, a interrupção da via urinária acontece na uretra ou em um dos ureteres, canais que ligam os rins à bexiga, e a função deles é conduzir a urina até à bexiga, de onde sai pela uretra. Ou seja, a explicação médica correta seria de que houve um “coágulo originário da bexiga”.

SANGRAMENTO – Seguindo nesta tradução simultânea, deve-se explicar que o coágulo não se forma sozinho no ureter ou na uretra, é sempre fruto de sangramento. Quando ocorre um sangramento de pouca intensidade, o paciente pode nem sentir dor, desconforto ou mal estar. Simplesmente a urina fica avermelhada, indicando que há algum problema, então procura-se o médico para o tratamento. Quando há obstrução da via urinária, porém, é sinal de que o sangramento é mais intenso, capaz de registrar coágulos.

O que não se sabia é que Temer já havia retirado a próstata há seis anos, conforme revelou a repórter Adriana Dias Lopes: “A retirada da glândula pode tornar os vasos nos órgãos ao redor inchados e, portanto, suscetíveis ao desenvolvimento de coágulos, sobretudo em homens com mais de 70 anos. O presidente já toma regularmente antiagregantes para inibir a formação de trombos”.

HÁ CONTROVÉRSIAS – Essa referência da repórter à próstata desmonta a versão anterior de “coágulo na bexiga”, por indicar que a equipe médica do Hospital do Exército na verdade não conseguiu determinar se o sangramento vem da bexiga (mais acima) ou da área da próstata.

De toda forma, a existência de sangramento capaz de formar coágulo demonstra que não se trata de um caso simples, ao contrário do que o Planalto tenta propagar, ao exibir a fotografia de Temer assinando um contrato nesta quinta-feira, com todos ao redor às gargalhadas, em clima se festa. Aliás, nesta sexta-feira, a agenda presidencial está vazia, indicando que Temer pode antecipar a internação no Sírio-Libanês, que estava prevista para sábado.

(NBO)

Comente com Facebook