/Absolvição de chapa Dilma-Temer joga luz sobre Justiça Eleitoral

Absolvição de chapa Dilma-Temer joga luz sobre Justiça Eleitoral

Francisco de Assis Moraes Sousa, Mão Santa,  foi o primeiro governador a ser cassado no Brasil pelo Tribunal Superior Eleitoral. Depois do livramento da cassação da chapa Dilma Temer, o ex governador do Piauí disse estar enojado da política brasileira.

Eu dei luz e remédio de graça, reduzi a conta de água e tive meu mandato cassado por compra de votos e abuso de poder econômico. Na época, o TSE era presidido por Nelson Jobim. A pesar da cassação, Mão Santa ainda conseguiu se eleger Senador e hoje, filiado ao Solidariedade(SD) está como prefeito da cidade de Parnaíba, de 170 mil habitantes, a segunda mais populosa do Piauí.

Especialistas em Direito Eleitoral, acreditam que a absolvição por parte do Tribunal Superior Eleitoral da chapa Dilma-Temer possa causar um certo descrédito a Justiça Eleitoral perante a sociedade que passará a ver o órgão com mais uma instância partidária. No entanto, outros especialistas defendem que a decisão foi correta evitando que em disputas futuras, todo mundo que perdeu a eleição recorra sob a mesma alegativa.

Muita coisa precisa mudar, dois dos sete ministros do TSE, representantes dos advogados, continuam advogando, até em defesa criminal de candidato.

Gilmar Mendes personifica bem a imagem do TSE, perante a sociedade brasileira.

(Reginaldo Silva com informações da Folha de São Paulo)

 

Comente com Facebook