/SDA destina 158 milhões para 101 municípios cearenses

SDA destina 158 milhões para 101 municípios cearenses

A Secretaria do Desenvolvimento Agrário (SDA) vai anunciar, no próximo dia 19 de março, dia de São José, padroeiro do Ceará, o investimento de 148 milhões de reais para projetos produtivos, assistência técnica e projetos de água. Os benefícios, que serão executados através do Projeto São José III, fazem parte do maior recurso já liberado para projetos produtivos e beneficiará 20 mil famílias de 101 municípios. Além desse recurso, outros 10 milhões serão investidos no Mapeamento de Solo do Ceará.

Já estão em fase de elaboração projetos e planos de negócio para melhoramento de áreas, unidade de beneficiamento de unidade de castanha de caju, unidade de produção de aves, aquisição de novas variedades de adubação, plantio de novas áreas, aquisição de máquinas e equipamentos, construção de casa de farinha, investimento em suporte forrageiro, construção de centro de pesca artesanal, construção de cozinhas comunitárias, construção de unidade de abate, unidade de processamento de mandioca, construção de casa de semente crioula, construção de unidade de produção de coco babaçu, construção de centro de turismo comunitário, implantação de agroindústria de caju, construção de galpão e casa de ovos, maquinário, mini fábrica, furadeira, além de sistemas de abastecimento d’água, reuso de água e assessoria técnica.

O investimento beneficiará os municípios de Acaraú, Altaneira, Alto Santo, Amontada, Apuiarés, Aquiraz, Aracati, Aracoiaba, Ararendá, Aratuba, Arneiroz, Banabuiú, Barbalha, Barro, Barroquinha, Baturité, Beberibe, Camocim, Canidé, Cariri, Cariús, Cascavel, Catarina, Caucaia, Choró, Chorozinho, Crateús, Crato, Cruz, Deputado Irapuã Pinheiro, Fortim, Grande Fortaleza, Groaíras, Guaiúba, Guaraciaba do Norte, Horizonte, Ibaretama, Ibiapina, Ibicuitinga, Icapuí, Icó, Iguatu, Independência, Ipaumirim, Ipueiras, Itaiçaba, Itapipoca, Itarema, Itatira, Jaguaretama, Jaguaruana, Jati, Lavras da Mangabeira, Limoeiro do Norte, Maracanaú, Maranguape, Marco, Massapê, Mauriti, Meruoca, Miraima, Mombaça, Monsenhor Tabosa, Morada Nova, Moraújo, Morrinhos, Nova Russas, Novo Oriente, Ocara, Pacajus, Pacoti, Palhano, Paracuru, Parambu, Pedra Branca, Piquet Carneiro, Poranga, Potiretama, Quiterianópolis, Quixadá, Quixelô, Quixeramobim, Redenção, Russas, Salitre, Santa Quitéria, São Benedito, São João do Jaguaribe, Senador Pompeu, Sobral, Solonópole, Tabuleiro do Norte, Tamboril, Tauá, Tianguá,Trairi,Tururu, Umirim, Vale do Jaguaribe e Viçosa do Ceará.

Em 19 de março de 2015 foi anunciado o investimento, através do Projeto São José, de R$ 52.246.197,98 com ações de produtivos e água. Em 2016 foram investidos R$ 160.324.704,83 com prioridade para ações de abastecimento d’água. Este ano, além de grande investimento para projetos de água, o destaque é o maior recurso já liberado para projetos produtivos, 93 milhões, totalizando 158 milhões em ações gerais.

 

Outros projetos da Secretaria do Desenvolvimento Agrário, como projetos de caprinocultura leiteira e Água Para Todos serão entregues em comemoração ao dia de São José. Os eventos acontecerão no dia 18 em Itarema e 19 em Chorozinho.

Mapeamento de Solo do Ceará

Os resultados desse trabalho, que consistirão num estudo completo dos solos de parte do Estado do Ceará, poderão indicar a aptidão das terras e subsidiar a elaboração de um zoneamento agrícola com maior precisão e detalhe, identificando a melhor época de plantio e as culturas mais apropriadas minimizando, assim, distorções e proporcionando condições para impulsionar o desenvolvimento não somente dos beneficiários do PDRS, mas do Estado do Ceará através da possibilidade de sua utilização para fomentar políticas públicas intersetorialmente. O Mapeamento de Solo contará com o apoio da Funceme, que já realiza um estudo sobre o solo cearense.

Projeto São José

A partir de 1996, o Governo do Estado celebrou contratos de empréstimo com o Banco Mundial focando no eixo de combate à pobreza rural, agora centrando esforços na estruturação e fortalecimento das associações comunitárias, com intensificação do processo de participação descentralizada com a implantação dos Conselhos Municipais. Ambos – Associações Comunitárias e Conselhos Municipais – entendidos como estruturas formais participativas e de controle social, para implementação do Projeto São José I. De 1996 a 2000 surge, também, o projeto de investimentos comunitários (projetos produtivos, de infraestrutura e sociais), tendo como público alvo as pequenas comunidades rurais organizadas;

No Projeto São José I (1996 a 2000) foram financiados 3.056 subprojetos, num total de R$ 130.633.075,02, beneficiando 189.496 famílias.

De 2002 a meados de 2009, já com o São José II, foram financiados 2.887 subprojetos sendo 25 de infraestrutura produtiva, 1.837 de infraestrutura hídrica, 530 de infraestrutura elétrica e 10 sociais, beneficiando 167.799 famílias de agricultores no interior do Ceará, com um total de R$ 176.687.570,93 aplicados em 177 municípios cearenses.

Em outubro de 2012, é assinado o Acordo de Empréstimo para execução do Projeto de Desenvolvimento Rural Sustentável – PDRS, chamado de Projeto São José III. Constitui uma das iniciativas que poderá contribuir de forma mais efetiva com a melhoria das condições de vida de famílias rurais, somando as suas ações com as demais políticas e programas do governo federal e de outros programas e projetos já em implementação no estado voltados para o desenvolvimento rural sustentável, financiando projetos produtivos e infraestrutura de apoio à produção, ao beneficiamento e comercialização.

Comente com Facebook