/Sobre o ônibus depredado e o empate do Ferroviário com o Nova Russas: muita empáfia e pouco futebol. Por Reginaldo Silva

Sobre o ônibus depredado e o empate do Ferroviário com o Nova Russas: muita empáfia e pouco futebol. Por Reginaldo Silva

Empáfia é a qualidade de quem tem demasiado orgulho de si próprio. É assim que definimos a postura do treinador do Ferroviário, Fernando Filho.
Logo após o empate com o Nova Russas em 1×1, em jogo válido pela série “B” do Campeonato Cearense, o treinador concedeu uma entrevista a imprensa que cobria o evento esportivo e fez várias declarações inoportunas.
É importante salientar que o jogo transcorreu normalmente durante os 90 minutos. O Nova Russas saiu na frente e o Ferroviário conseguiu um empate já na segunda etapa.
Durante a partida, um dos membros da torcida organizada do Ferroviário, que vieram em uma “Van” da capital cearense, conforme informação colhida na página oficial do clube, jogou um objeto em um dos torcedores do Nova Russas. O princípio de confusão logo foi contido pelos policiais e guardas municipais que faziam a segurança da partida.
Ao término do jogo, os policiais acompanharam os torcedores do Ferroviário de forma preventiva, para garantir a integridade física dos mesmos, objetivando conter algum conflito que por ventura viesse a ocorrer.
Lamentamos o episódio de uma pedra que atingiu o ônibus do Ferroviário, condenamos veementemente esse tipo de vandalismo, fato este contado pela imprensa da capital apenas com a versão do Ferroviário. A diretoria do Nova Russas está investigando o caso, tentando descobrir os autores para puni-los, uma vez que o veículo ficou estacionado em frente a Delegacia de Polícia Civil do Município.
O que não aceitamos é a forma desrespeitosa, antiética e antiprofissional como se comportou o treinador Fernando Filho.
Colocar culpa no gramado, no vestiário, na Federação Cearense de Futebol, no Ministério Público e na própria cidade pelo simples fato de ser um município do interior cearense, que há quatro anos vem participando da competição, por fatos isolados alheios à prática esportiva, não condiz com uma postura digna de um profissional.
Já assistimos fatos mais graves ocorridos na primeira divisão do campeonato cearense e do próprio campeonato brasileiro. E a postura que se acompanha de profissionais capacitados ligados ao esporte, sejam eles, atletas, técnicos, dirigentes ou organizadores é de serenidade e educação. Sempre buscando a paz e harmonia nos estádios e não incitando a violência.
O Ferroviário que é um grande clube do futebol cearense, que merece todo respeito pela sua história e tradição, se tivesse pessoas menos arrogantes dentro e fora de campo, talvez não estivesse amargando a Segunda Divisão.
Confúcio nos ensinou que “a humildade é a única base sólida de todas as virtudes. Que a lição da filosofia, também sirva como ensinamento para o futebol.

Comente com Facebook