/Nova Russas: sábado é uma ilusão e a oposição uma quimera golpista

Nova Russas: sábado é uma ilusão e a oposição uma quimera golpista

O sábado é uma ilusão. A frase é de Nelson Rodrigues.

Poderia ser qualquer outro dia da semana, mas ele optou pelo sábado.

O ” golpe” dado na tomada da Prefeitura de Nova Russas, também é uma ilusão e terá consequências, mais cedo ou mais tarde.

O tempo irá dizer.

Também considero uma ilusão da oposição  afastar o prefeito da forma arbitrária e ditatorial como afastou.

Como os legítimos representantes das urnas, conseguem desrespeitar  a vontade das urnas?

As denuncias que existem  contra o prefeito Gonçalo Diogo são denuncias que foram transformadas em TCEs e posteriormente foram transformadas na denuncia que deu entrada na Câmara. Algumas dessas TCEs já foram até arquivadas.

Nenhum crime de corrupção ou de outra natureza foi comprovado pela justiça. Mas, a Câmara resolveu denunciar, julgar e condenar. Pior ainda, afastar o prefeito de forma ditatorial e ilegal.

Julgou e condenou sem direito de defesa. A justiça fará justiça.

E o povo? Bem, o povo nunca foi consultado pela casa do povo.

O denunciante, Bilê,  revoltou-se com o prefeito depois  que perdeu o cargo que tinha do SAAE. Procurei o significado de Bilê no dicionário e não encontrei. Encontrei Bile, que no sentido figurado significa mau humor.

Para entender essa cruzada contra Gonçalo Diogo, é preciso voltar ao resultado das eleições.

Gonçalo ganhou  com 48 votos de diferença. É bem verdade que ele não alcançou a maioria do eleitorado, até porque concorreram seis candidatos.

Mas, entre os seis, ele foi o mais votado.

Assim se formaram três correntes de pensamento político: os radicais inconformados com a derrota, os  radicais contra tudo e conta todos e um terceiro grupo não radical que aceitou a derrota e deixou o barco andar para saber em que tipo de águas esse barco ia navegar.

Os radicais inconformados com a derrota logo mostraram a cara. E demonstraram que em hipótese nenhuma legitimariam  o governo do prefeito Gonçalo Diogo. Logo receberam a adesão dos radicais contra tudo e contra todos.

Em síntese, é essa oposição que afastou sumariamente o prefeito Gonçalo Diogo.

Analisando a sessão da Câmara ainda senti um fio de esperança nos homens de bem desta cidade. O suplente Coca.

Sou contra o meio termo, mas a abstenção do Coca, foi um tapa na cara dos suplentes que foram infectados pelo vírus da maldade.

Coca deu seu recado. Se não concordava com a forma de governar do prefeito Gonçalo Diogo, também não foi conivente com um ato que pode ser considerado ao mesmo tempo, ditatorial, ilegal e impopular.

Julgar, condenar e afastar um prefeito sem o direito de defesa, pode ser considerado um “golpe” na democracia.

Vamos ao significado de “golpe”: ação de uma autoridade que viola as formas constitucionais; conquista do poder político por meios ilegais.

Tenho certeza absoluta, que o povo não concorda com a forma do afastamento do prefeito Gonçalo Diogo.

O governo Gonçalo Diogo conseguiu resgatar a credibilidade do município, vem cumprindo sua obrigação de manter a economia em pleno estado de equilíbrio. Crédito,  funcionários e fornecedores fizeram as pazes com a prefeitura. Além da construção de obras inacabadas deixadas por outros gestores.
Mérito do atual governo.

Tudo isso representa um momento de equilíbrio para o município.

Mas quem é radical, não interessa ver o governo se desenvolver. O interessante é desestruturar o governo.  O estado da desordem interessa aos radicais, onde o caminho mais curto é um “golpe”. Quatro anos é tempo demais para esperar pelas urnas.

No passado recente, já vi pessoas serem fruto dessa mesma cruzada injusta, fruto de um radicalismo que só ajudou a enterrar Nova Russas.

A pergunta central é: a sociedade estaria disposta a aceitar tal situação e amargurar outros longos anos de atraso? Em nome de que e de quem?

Se Nelson morasse em Nova  Russas concluiria que o sábado é uma ilusão e a oposição uma quimera golpista.

(Por Reginaldo Silva)

Comente com Facebook