/Fortaleza: Sindicalistas batem boca no aeroporto e chamam deputados de “traidores”

Fortaleza: Sindicalistas batem boca no aeroporto e chamam deputados de “traidores”

Cerca de 50 manifestantes mobilizados pelo Sindicato Apeoc, ligado aos professores, e ao SindiSaúde,  representante do pessoal da saúde, realizaram, no fim da madrugada desta terça-feira, no Aeroporto Internacional Pinto Martins, em Fortaleza, um ato de protesto.

O objetivo foi pressionar parlamentares federais cearenses contra o projeto de lei nº 4330, que flexibiliza as terceirizações. Apenas quatro parlamentares embarcaram no voo que segue por volta das cinco horas.

O presidente do Sindicato Apeoc, Anízio Melo, foi direto: a matéria, já aprovada na Câmara, liquida com as relações trabalhistas.

 

O deputado federal Raimundo Gomes de Matos (PSDB), que votou pelo projeto das terceirizações, evitou encontro com os manifestantes. Mesmo assim, acabou sendo chamado de “traidor” pelo grupo. Gomes de Matos se disse tranquilo e de que votou no certo.

 

Mas teve parlamentar que votou a favor das terceirizações e não escapou do assédio e das críticas dos manifestantes. Caso de Adail Carneiro (PHS). Ele chegou a tentar conversar com o presidente do Sindicato Apeoc, Anízio Melo,  mas foi chamado de “traidor”.Houve um bate-boca em torno da questão das terceirizações, onde Adail disse ter votado a favor da regularização das relações do trabalhador. Ele acabou sendo vaiado.

 

Quem também não escapou das vaias e da alcunha de “traidor” foi o líder do PDT na Câmara, André Figueiredo. O parlamentar evitou o assedio dos manifestantes e explicava que os sindicalistas faziam protesto sem conhecer o teor da matéria. Foi o que ele repetiu para o Blog.

Enquanto Raimundo Gomes de Matos, Adail Carneiro e André Figueiredo foram alvos de protestos, o deputado federal Chico Lopes (PCdoB), ganhou aplausos dos manifestantes. Ele votou contra o projeto de lei 4330 das terceirizações e teve direito de ocupar o microfone e falar para o grupo. Chico Lopes reiterou postura contra as terceirizações, contra a mais-valia.

 

Nesta quarta-feira, a partir das 8 horas, os sindicalistas deverão mobilizar uma série de servidores e realizar, na praça da Igreja do Carmo, um ato contra as terceirizações. de lá, o grupo promete circular as ruas do Centro.

Fonte: Blog do Eliomar

Comente com Facebook