/DELATOR DIZ QUE FEZ EMPRÉSTIMOS PARA PAGAR PROPINA A AGRIPINO

DELATOR DIZ QUE FEZ EMPRÉSTIMOS PARA PAGAR PROPINA A AGRIPINO

247 – Surgiram mais detalhes sobre a denúncias de envolvimento do senador e presidente nacional do DEM, Agripino Maia (RN), no recebimento de propina para sua campanha eleitoral em 2010.

Em depoimento ao Ministério Público do Rio Grande do Norte, George Olímpio confirmou que esteve com Alcides Barbosa no apartamento de Agripino em Natal para negociar o pagamento de R$ 1 milhão em 2010. Para concretizar o negócio, George deu R$ 200 mil no ato, em dinheiro vivo e acertou para a semana seguinte mais R$ 100 mil.

George Olímpio firmou acordo de delação premiada com o MP e prestou depoimento em agosto de 2014 – quando revelou detalhes de um suposto esquema de corrupção envolvendo o Departamento de Trânsito do RN.

Segundo o blog do jornalista Daniel Dantas, o restante teria sido emprestado por Marcílio Carrilho, presidente municipal do DEM em Natal, R$ 400 mil, e José Bezerra Júnior, R$ 300 mil. “Eu peguei R$ 400 mil emprestados com Marcílio Carrilho, que hoje é presidente do Democratas municipal de Natal, com cheques meu ou do consórcio, para garantir. Paguei todo mês, a partir de outubro de 2010 a fevereiro de 2011, R$ 16 mil de juros. E ele disse ainda que ligaria para Ximbica (José Bezerra Júnior, ex-suplente de senador) para conseguir os outros R$ 300 mil. No outro dia ele marcou. Eu, ele (José Agripino) e Ximbica nos encontramos e eu peguei o dinheiro a juros também. Acho que era R$ 9 mil por mês de juros”, relatou o advogado.

A Operação Sinal Fechado apurou fraudes envolvendo o Detran do Rio Grande do Norte e foi deflagrada em 2011. O advogado George Olímpio foi apontado como mentor do esquema que desviava recursos do órgão. Em 2011, 12 pessoas foram presas, dentre elas Olímpio, e 27 foram denunciadas pelo Ministério Público. A Justiça acatou a denúncia.

Em agosto de 2014, o advogado George Olímpio prestou depoimento ao MP, em delação premiada, e trouxe novos fatos às investigações. A delação premiada resultou na denúncia do presidente da Assembleia Legislativa do RN, deputado Ezequiel Ferreira de Souza (PMDB), na última sexta-feira (20). Segundo o MP, o deputado teria recebido R$ 300 mil para agilizar na Assembleia Legislativa a tramitação da lei que implantava a inspeção veicular no estado.

Ação no STF

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) abertura de inquérito para investigar se o senador José Agripino Maia (RN), presidente do DEM, recebeu dinheiro em 2010 em troca de não colocar obstáculos à aprovação de um projeto de lei que previa implantação da inspeção veicular obrigatória no Rio Grande do Norte.

Como Agripino tem foro privilegiado (em razão da condição de senador), a abertura de investigações precisa ser autorizada pelo STF. O pedido da PGR é para que o parlamentar seja investigado por suposto crime de corrupção passiva. A decisão de abrir ou não o inquérito será tomada pela ministra Cármen Lúcia.

Comente com Facebook