/Tasso defende a tolerância e fala sobre Bolsonaro, Congresso e Lava Jato no debate da Assembleia Legislativa do Ceará

Tasso defende a tolerância e fala sobre Bolsonaro, Congresso e Lava Jato no debate da Assembleia Legislativa do Ceará

Na tarde desta segunda-feira (07/10), foi realizado um debate alusivo às comemorações dos 30 anos da promulgação da Constituição Estadual, na Assembleia Legislativa do Ceará, com as participações do ex-ministro Ciro Gomes (PDT), do senador Tasso Jereissati (PSDB), do presidente da Assembleia Legislativa, José Sarto (PDT) e mediação do jornalista Kennedy Alencar.

Durante o debate, o senador Tasso Jereissati num clima bem humorado defendeu a tolerância no momento político crítico por que passa o País. Tasso fez um passeio histórico das últimas três décadas, relembrando até o período em em que saia do gabinete do Governo do Estado para inaugurar um orelhão, em cidades do interior cearense onde se fazia uma grande festa. A alusão foi feita dentro do contexto dos avanços que o Brasil e o Ceará passaram nos últimos tinta anos.

O senador também relembrou as lutas do período da redemocratização, eram tempos difíceis, mas conseguimos vencer com inteligência e tolerância, vencemos através do voto popular. “Todos nós esperávamos que o voto popular resolvesse todos os problemas, mas não era tão simples assim. Houveram avanços e recuos, mas até hoje me pergunto como conseguimos conviver com o problema do saneamento básico, é a maior vergonha do Brasil,” ressalta o senador.

Tasso diz que o ódio vem se espalhando na sociedade, a internet virou palco para xingamentos, quem não é extrema direita, todos os demais, tornaram-se socialistas-comunistas, ou quem tem um pensamento diferente da esquerda, torna-se fascista.

O senador avaliou que Bolsonaro peca mais pelo que diz do que pelo que fala.  “não votei no Bolsonaro e não votaria, mas ele ganhou e temos que aprender a conviver com esse cara da melhor maneira possível,” disse o parlamentar. Ele também lamentou a visão estreita de mundo do presidente Jair Bolsonaro, enfatizou que não tem mais a mesma expectativa em relação ao Congresso, pontuou que a Lava Jato foi importante no primeiro momento para coibir a institucionalização da corrupção, mas destacou que a ficha caiu, quando a Força Tarefa reclamou os recursos da Lava Jato para um fundo que seria comandado por eles. Tasso foi muito aplaudido pelos presentes ao debate.

O presidente da Assembleia José Sarto (PDT), encerrou o evento agradecendo a presença de todos, demonstrando a importância da comemoração dos 30 anos da promulgação da Constituição do Estado para sociedade cearense.

(Por Reginaldo Silva)

Comente com Facebook