/Incêndio no Centro de Fortaleza continua mais de 17 horas depois do início; ruas do entorno estão bloqueadas

Incêndio no Centro de Fortaleza continua mais de 17 horas depois do início; ruas do entorno estão bloqueadas

Segundo os bombeiros, apesar do incêndio ainda não ter sido totalmente apagado, as chamas estão controladas e, às 9h, cerca 90% da área afetada estava livre de fotos.

Para evitar acidentes e permitir a atuação dos bombeiros, ruas do entorno foram bloqueadas pela Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC) para o tráfego de veículos. Por volta das 22h45, o trecho da Rua General Sampaio com Guilherme Rocha, interditado no final da tarde por causa da ocorrência, foi liberado.

Contudo, outros bloqueios no entorno do local foram mantidos. São eles:

O cruzamento da Rua Pedro Pereira com a Rua General Sampaio;

Cruzamentos da Rua 24 de Maio com a Rua São Paulo;

Rua 24 de Maio com Rua Guilherme Rocha.

Estrutura comprometida

A chuva que caiu na capital entre o fim da madrugada e o início da manhã ajudou a resfriar o local do incêndio. Entretanto, de acordo com o coronel Oliveira, do Corpo de Bombeiros, o fogo chegou a comprometer a estrutura dos comércios vizinhos. “O incêndio se propagou para uma farmácia, que também teve a estrutura colapsada. Nas lojas ao lado a passagem do fogo se deu por convecção, que são as massas de ar, mas nós conseguimos controlar e o incêndio não chegou a desenvolver dentro delas”, afirma.

Estes dois estabelecimentos atingidos parcialmente foram uma empresa de eletrônicos e o segundo andar de uma empresa de tecidos.

Cerca de 40 bombeiros se revezam para apagar as chamas. A ação conta com 11 viaturas dos quartéis do Centro, Conjunto Ceará e Mucuripe. Uma escada Magirus também foi utilizada.

Conforme Oliveira, o combate ao fogo está concentrado na loja de importados, “que teve a estrutura totalmente destruída, vindo a desabar parte do teto”. A energia elétrica da região foi desligada pela Enel e a Companhia de Água e Esgoto do Estado do Ceará (Cagece) disponibilizou um hidrante para auxiliar nos trabalhos dos bombeiros.

Ainda segundo o coronel Oliveira, a Defesa Civil será acionada para a avaliar as condições de funcionamento das lojas da região que não foram atingidas pelo fogo. “Vamos solicitar a Defesa Civil do município para avaliar a condição dessa estrutura, até que possa adentrar alguém e verificar a situação de ocupação desse espaço”, disse./G1

Comente com Facebook