/Granjeiro: a repercussão do suposto envolvimento do atual prefeito e do pai no assassinato de João do Povo

Granjeiro: a repercussão do suposto envolvimento do atual prefeito e do pai no assassinato de João do Povo

Em Granjeiro continua repercutindo a operação da  Polícia Civil realizada nesta quinta-feira (09/01) com o objetivo de identificar os autores e mandantes da ação criminosa, contra o prefeito João Gregório Neto, conhecido como “João do Povo”.

As investigações apontam suposto envolvimento de Ticiano Tomé e do pai dele, Vicente Félix de Souza, de participação no crime. A Polícia Civil chegou a pedir a prisão do atual prefeito e de Vicente Félix. A Justiça, no entanto, negou os pedidos – apenas uma medida cautelar foi deferida contra Félix. As informações foram repassadas pelo secretário da Segurança Pública do Ceará, André Costa.

A Câmara Municipal de Granjeiro anunciou que ainda não deve tomar decisão sobre o futuro do prefeito Ticiano Tomé, que tomou posse após o assassinato de João do Povo. O presidente da Casa, vereador Luiz Márcio Pereira, o Marcim, declarou que “vai esperar ter mais elementos para tomar alguma providência”.

As investigações

O trabalho conduzido pelo Departamento de Polícia Judiciária do Interior Sul (DPJI Sul), com apoio das delegacias regionais de Crato e de Juazeiro do Norte, conseguiram reunir provas que indicam que o crime tem elementos que relacionam o fato com desavenças políticas entre a vítima e outros políticos da região. Foi determinado pela Justiça que o pai do atual prefeito de Granjeiro, identificado por Vicente Félix de Souza (60), utilize tornozeleira eletrônica e mantenha-se em área de restrição específica, como medida cautelar.

Durante o trabalho policial, um veículo modelo Chevrolet S10, de propriedade de um parente de Vicente, bem como documentos e aparelhos celulares foram apreendidos nos endereços alvos da operação. Os objetos serão encaminhados para a Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce) para serem submetidos à análise pericial.

A Polícia Civil segue com as apurações para analisar o material apreendido na operação e não divulga mais informações no momento para não comprometer o andamento das investigações. A população pode colaborar com as investigações através dos canais de denúncias. As denúncias podem ser feitas para o número 181, o Disque-Denúncia da SSPDS, ou ainda para o número ‪(88) 3102-1116, da Delegacia Regional de Juazeiro do Norte. O sigilo e o anonimato são garantidos

Comente com Facebook